Jogos Tradicionais

Publicado em Modalidades Culturais

Os Jogos Tradicionais Portugueses são uma peça fundamental da nossa identidade e cultura.

Estes jogos podem ser praticados por todas as idades.

Existem vários tipos de jogos tradicionais e aqui no CCD Paivas pode encontrar-los.

Apresentamos em seguida os Jogos Tradicionais desenvolvidos no Centro Cultural e Desportiva das Paivas.

Malha

Breve resenha sobre esta modalidade

O jogo da malha é um desporto de origem portuguesa onde se lançam discos de metal em direcção a um pino que se encontra a alguns metros de distância.

Jogava-se malha em França, em Itália, em tempos muito antigos e que não estão bem determinados. Fala-se no jogo de malha, em 1490, mas a prova de sua existência vem de um documento francês de 1644.

Em Portugal, este desporto e o arremesso de ferraduras, sempre foi muito popular, com os nomes de chinquilho ou jogo do fito.

Cada equipa será constituída por dois elementos (parceiros). Para jogar, os parceiros colocam-se cada um junto ao seu meco, de modo a ficarem lado a lado dois adversários. Os dois primeiros jogadores a iniciarem cada partida, terão cada um duas malhas que lançarão alternadamente procurando derrubar o meco da outra cabeceira e deixar a malha o mais próximo possível e assim sucessivamente.

As malhas terão um diâmetro de cerca de 10,5 cm e um peso de aproximado de 600 gr e os mecos terão uma altura de cerca de 20 cm e uma base de aproximadamente 5 cm. A distância máxima entre os mecos será de 20 metros e a mínima de 16 metros.

Na frente dos mecos e à distância de um metro destes, será marcada uma linha perpendicular que delimita a zona de lançamento das malhas.

Todo e qualquer jogador que ao lançar a malha ultrapasse o risco de lançamento previamente marcado pela organização, poderá ser advertido e mesmo sancionado.

Depois das quatro malhas jogadas, a que ficar mais próximo do meco soma 2 pontos, podendo uma equipa somar 4 pontos se as suas duas malhas forem as mais próximas do meco, sendo o parceiro do jogador cuja malha ganhou os pontos quem procederá ao primeiro e terceiro lançamentos das malhas e assim sucessivamente.

Cada jogo termina aos 30 pontos e ganha a equipa que primeiro os conseguir atingir.

Petanca

Breve resenha sobre esta modalidade

A petanca é um jogo popular tipicamente provençal, embora também muito praticado nas zonas rurais espanholas, sobretudo na Catalunha. O jogo é originário de França, onde goza de grande aceitação. O seu nome provém da expressão "pés juntos" da região do Midi. Existe uma federação que regula as competições oficiais do jogo, considerado já um desporto.

Na prática, o jogo faz-se em zonas planas e arenosas. Consiste em lançar uma série de bolas metálicas com o intuito de aproximar-se o mais possível de uma pequena bola de madeira que foi lançada anteriormente por um jogador. As bolas usadas no jogo são metálicas (não devem conter chumbo nem areia no interior) com umas estrias. O diâmetro deve situar-se entre 7 e 8 cm, enquanto que o peso oscila entre os 625 e os 800 gramas. A bola pequena ou boliche é de madeira e deve ter um diâmetro entre 2,5 e 3,5 cm.

Ao começar o jogo lança-se o boliche. Depois, cada jogador lança, à vez, três bolas na modalidade individual ou duas se se joga por equipas. Os lançamentos podem ser de três tipos: de aproximação ao boliche; de "tiro", para tentar afastar uma bola de um oponente, acertando-lhe; e de "empurrar", fazendo rodar a bola para aproximá-la mais um pouco ao boliche ou para afastar uma bola do outro jogador ou equipa. Cada bola que, uma vez concluída a partida, se encontre mais próxima do boliche que as dos adversários conta como um ponto. Ganha o jogador ou a equipa que chegue primeiro a marcar treze pontos.

Sueca

Breve resenha sobre esta modalidade

Sueca é um jogo de cartas bastante popular em Portugal, no Brasil e em Angola.

Para jogar, são necessários quatro jogadores, divididos em duplas, sentados à volta da mesa, de modo que cada dupla fique a frente uma para a outra.

O baralho de sueca não contém as cartas "8", "9" e "10".

oga-se no sentido horário e cada jogador deverá receber 10 cartas, de modo que o baralho todo seja usado. É importante frisar que o embaralhar, cortar e distribuir das cartas segue uma ordem rígida e específica, de modo que qualquer irregularidade neste processo resultará em penalidade para a dupla infratora.

Supondo uma mesa composta (no sentido horário) por A, B, C e D, onde A e C formam uma dupla, e B e D outra: A embaralha, C corta, B distribui e D começa. A cada rodada do jogo, a "mão" roda para a esquerda, fazendo então com que B embaralhe, D corte, C distribua e A comece.(Em Portugal B dá também, sendo que D não tem acção nessa rodada.)

O jogador que for o distribuidor de cartas poderá escolher se distribuirá as cartas começando por si, ou se será o último a receber. Se escolher ser o último, começará distribuindo as cartas para sua esquerda, e seguirá a ordem. Sua última carta deve então ser virada para que todos possam ver, e o naipe desta carta determina o naipe do trunfo. Caso escolha começar por si, a carta do trunfo deverá ser a primeira a ser virada do monte.

Caso o jogador que vá iniciar a partida tenha menos do que 10 pontos em sua mão, pode pedir para que as cartas sejam redistribuídas. O mesmo vale para os demais jogadores, desde que tenham menos do que 5 pontos na mão (Esta regra não é aplicada em Portugal, onde o jogador terá que jogar com as cartas que lhe couberem em sorte).

Dominó

Breve resenha sobre esta modalidade

Dominó é o jogo formado por peças retângulares, dotadas normalmente de uma espessura que lhes dá a forma de paralelepípedo, em que uma das faces está marcada por pontos indicando valores numéricos.

O jogo aparentemente surgiu na China e sua criação é atribuída a um santo soldado chinês chamado Hung Ming, que viveu de 243 a.C a 182 a.C.

O conjunto tradicional de dominós, conhecido como sino-europeu, é formado por 28 peças, ou pedras. Cada face retângular de dominó é divida em duas partes quadradas, ou "pontas", que são marcadas por um número de pontos de 1 a 6, ou deixadas em branco. Um jogo de dominós é equivalente a um baralho de cartas ou jogo de dados, que podem ser jogados em uma diversidade indeterminada de maneiras.

As pedras são geralmente denominadas de acordo com os números em suas pontas. Assim, uma pedra com um 3 de um lado e um 4 do outro, é chamada de três-quatro. Peças com números iguais em ambas as pontas são chamadas "duplos". Num jogo de peças, nenhuma delas apresenta um combinação de "pontas" igual a outra.

Pedras com o mesmo número numa das pontas são consideradas do mesmo naipe. No caso do conjunto conhecido como duplo-seis, em que a pedra de maior valor é aquela com seis pontos nas duas pontas, as pedras 1-0, 1-1, 1-2, 1-3, 1-4, 1-5 e 1-6 pertencem todas ao naipe de "1", sendo que cada peça, excepto os duplos, pertencem sempre a dois naipes.

Na forma clássica do jogo, são sete números (de zero a seis), combinados entre si. Matematicamente: C(7,2) + 7 = C(8,2) = 28.

Damas

Breve resenha sobre esta modalidade

Jogo de damas ou simplesmente damas é o nome de um jogo de tabuleiro que usa o mesmo tabuleiro que o xadrez. Existe uma versão do jogo, pouco conhecida no Brasil e em Portugal, que usa um tabuleiro de 100 casas (10 por 10).

O jogo de damas pratica-se entre dois parceiros, num tabuleiro quadrado, de 64 casas alternadamente claras e escuras, dispondo de 12 pedras brancas e 12 pretas.

O objetivo é capturar ou imobilizar as peças do adversário. O parceiro que o conseguir ganha a partida.

O tabuleiro deve ser colocado de modo que a casa angular à esquerda de cada parceiro seja escura.

No início da partida, as pedras devem ser colocadas no tabuleiro sobre as casas escuras, da seguinte forma: nas três primeiras filas horizontais, as pedras brancas; e, nas três últimas, as pedras pretas.

A pedra movimenta-se em diagonal, sobre as casas escuras, para a frente, e uma casa de cada vez.

A pedra pode capturar a peça do adversário pra frente.

A pedra que atingir a oitava casa adversária, parando ali, será promovida a "dama", peça de movimento mais amplos que a simples pedra. Assinala-se a dama sobrepondo, à pedra promovida, outra da mesma cor.

A dama pode mover-se para trás e para frente em diagonal, diferente das outras peças, que movimentam-se apenas para frente em diagonal. A dama pode também tomar outra peça pela frente ou por trás em diagonal.

Xadrez

Breve resenha sobre esta modalidade

A importância do ensino do xadrez no desenvolvimento das crianças e jovens.

O ensino do xadrez tem sido objecto de estudos segundo as mais diferentes abordagens: Filosófica, Sociologica, Psicológica e Pedagógica. Xadrez é por excelência um jogo de estratégia e de extrema importância para o desenvolvimento intelectual e cívico da criança.

Neste jogo a criança aprende regras. Neste jogo o estudo do tabuleiro relaciona-se com conteúdos de matemática e geometria, tornando-o ferramenta para um ensino mais eficaz.

O desenvolvimento do jogo com a integração das peças e os cálculos das jogadas exercitam o raciocínio lógico e imaginação, assim como a escolha do próximo lance valoriza a sua iniciativa e autonomia.

Monitor de Xadrez da Câmara Municipal do Seixal

José Henrique Carvalho